domingo, 6 de dezembro de 2009

Você sabe o que é CORE TRAINING?

A expressão ainda pode parecer estranha para muitos profissionais ligados à preparação de atletas de alto nível, mas o core training tem se tornado cada vez mais presente no cotidiano desses esportistas. Trata-se de uma atividade preventiva e com influência direta no rendimento, sobretudo em modalidades que exigem muito dos membros inferiores - o futebol, por exemplo.
Core é uma palavra de origem anglo-saxônica que designa centro, região central ou fundação. No corpo, essa é a região constituída por músculos da parede abdominal, coluna lombar, restantes extensores da coluna e músculos da cintura escapular – essa região é conhecida como o centro de gravidade das pessoas. Todos os músculos do Core representam suporte importante para o sistema muscular, pois seu trabalho sinérgico permite a estabilização do tronco durante os movimentos dos membros. Inicialmente, o core training foi desenvolvido com a intenção de reduzir dores e problemas nas costas dos pacientes. Estudos indicam que até 60% da população mundial sofre com incômodos lombares e os treinos do Core foram planejados com a intenção de diminuir os efeitos disso. No ambiente da atividade física, porém, é evidente que os treinos dessa região melhoram o suporte do tronco dos atletas durante os movimentos. E assim, dão mais firmeza e estabilidade às ações pertinentes à modalidade em questão. Por conta disso, o core training ganhou espaço nos últimos anos e sua utilização tem se tornado cada vez mais constante nas equipes de futebol. Sua configuração é baseada em alongamentos, equilíbrio e treinamento de alinhamento dos músculos da região. “São 29 músculos de origem pélvica e formam o centro de gravidade de qualquer atleta. Antes, mexíamos apenas com o quadríceps dos atletas. Mas percebemos nos últimos anos que a força do Core determina a intensidade da freada e da mudança de direção, que são componentes fundamentais para o rendimento esportivo”, disse Fábio Mahseredjian, preparador físico do Fluminense e da seleção brasileira, durante a quarta edição do Fórum Internacional de Futebol (Footecon). Os números comprovam a eficiência do trabalho de core training para o desempenho dos atletas. Em dois meses de uso dessa atividade, os jogadores de futebol têm uma evolução média de 5,6% na impulsão vertical, 5,3% no arranque de 10 metros e 5,5% no arranque de 40 metros. Assita esse vídeo ilustrativo sobre o CORE TRAINING
video Duração : 2'45"

Nenhum comentário:

Últimos Acessos nas 24h

BLOG PELOTAS DE PORTAS ABERTAS.COM - Acesse aqui >>>

Presidente Novelletto FGF

Presidente Novelletto FGF

Paulo Paixão

Paulo Paixão

Dr. José Raymundo

Dr. José Raymundo

Árbritro Jean Pierre Lima

Árbritro Jean Pierre Lima

Técnicos Cuca e Edson Gaúcho

Técnicos Cuca e Edson Gaúcho

Técnico Dunga

Técnico Dunga

Juan - zagueiro

Juan - zagueiro